Café de la Musique coloca a culpa nos clientes e admite ilegalidade

Em nota enviada a imprensa, a casa admitiu que os clientes não respeitaram as normas, ocorrendo o descumprimento das normas vigentes no interno da empresa, onde a responsabilidade é privada.

O evento ganhou destaque nacional na pior semana da pandemia, isso porque imagens mostraram pessoas tumultuadas dançando sem máscaras no mesmo fim de semana em que Florianópolis bateu recorde de internações por Covid-19, com apenas dois leitos de UTI vagos.

A casa não comentou sobre as pessoas sem máscaras, mas afirmou que tem permissão para funcionar como restaurante, servindo bebidas alcoólicas até 18:00, com capacidade máxima reduzida a 25% e assim o fez.

A Prefeitura e a vigilância sanitária foram procuradas mas até às 08:50 desse domingo, ainda não retornou.

Veja a nota na íntegra:

Conforme o decreto vigente, o Cafe de la Musique pode abrir como restaurante com venda de bebidas até às 18h e com 25% da capacidade de público.  O que foi respeitado, com somente as mesas externas liberadas, bangalôs interditados e controle rígido de entrada, sendo que havia menos do que a capacidade permitida.

O local trabalha com uma equipe de fiscalização para que os clientes respeitem as regras e permaneçam sentados o máximo possível, mas que, lamentavelmente, não foi respeitado pelos mesmos, como foi captado no vídeo.

Às 18h a venda de bebidas foi suspensa e às 19h já não havia ninguém no Cafe de la Musique Jurerê Internacional, o qual pode ser atestado pelos órgãos de fiscalização competentes que foram até o local e comprovaram isto.

Veja Também

Sobre o Autor

Deixe um Comentário