Pandemia e vacinação em Floripa

Com 92,8% de taxa de ocupação nos leitos para adultos, Floripa vive um momento muito sensível. Não bastasse o covidômetro apresentar o nível potencial gravíssimo, o estado tem 15 das 16 regiões na mesma situação. Como a capital é uma referência para demais municípios (por concentrar grande parte dos hospitais e recursos) há uma tendência de maior circulação de pessoas por aqui.

Assim, em meio ao aumento de casos, que foi reforçado inclusive pelo Secretário de Saúde do Estado, quando anunciou “30 dias difíceis pela frente”, cabe evitarmos aglomeração e redobrarmos os cuidados quanto a higiene das mãos e o uso de máscara. Isso é fundamental, sobretudo com as cepas mais transmissíveis que por aqui circulam.

Mas e a vacinação? Bom, é muito importante registrar que a vacinação só ocorre quando as doses chegam do Ministério da Saúde. Desde o início, o Governo Federal foi enrolado nas negociações, e isso vem repercutindo no abastecimento das doses de centenas de municípios brasileiros, incluindo a capital do Estado.

O que se espera é que as recentes projeções quanto a chegada de doses se efetivem e possamos dar seguimento as próximas etapas de vacinação, garantindo a saúde e segurança da nossa população.

Veja Também

Sobre o Autor

Deixe um Comentário